27.3.06

Luz no Fim do Túnel

O segundo homem da República, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, pediu o boné. Antes, Palocci e seus assessores haviam usado o poder para quebrar o sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa. O feitiço se voltou contra os feiticeiros. Lula demitiu Palocci. A oposição, que também está adorando ver o circo pegar fogo, vai agora voltar a artilharia pesada contra o Presidente. Tomara que nessa luta acirrada apenas do poder pelo poder, o país não quebre e a economia siga nos trilhos como um trem em velocidade uniformemente constante. Uma casa conhecida como a República de Ribeirão Preto, um ministro, negociatas, prostitutas e, vendo tudo, um caseiro. E não foi Francenildo quem derrubou Palocci. Foi o próprio Palocci que não acreditava que o país fosse ficar indignado com os ataques a um simples caseiro. Francenildo está longe do círculo do poder. Mas Francenildo dos Santos Costa é um cidadão. E merece mais respeito do que muitos irresponsáveis que fazem e desfazem nesse país.

2 comentários:

Vinicius Factum disse...

Pois é, Giácomo! Privacidade, respeito e segurança são alguns dos nosso direitos que devemos lutar sempre para que jamais e em tempo algum nos sejam subtraidos.

Abs,

Vinicius Factum
Blog de um Cidadão

Clayton Cruz disse...

Vivemos a era do cidadão. Um deles chega ao poder, derrubando o que se convencionou chamar de "ala burguesa" da política nacional. Outro, tão povão quanto o anterior, derruba o homem forte e até então imbatível ministro da fazenda. O exemplo bíblico (Davi x Golias) há muito relegado ao esquecimento, agora se torna real em terras tupiniquins. []