19.4.06

Ivete Brandalise

Ela era a dona da voz. Minha adolescência e meu início de profissão como jornalista tiveram essa voz como uma das trilhas sonoras mais marcantes e importantes. Os "Cinco Minutos com Ivete Brandalise", na Rádio Guaíba, eram sagrados. Eu parava para ouvir. A dona da voz grave e cadenciada, comentava sobre tudo e, vez por outra, lia crônicas no ar. Texto perfeito, bem pontuado, cheio de frases curtas. Ela também escrevia no jornal Folha da Tarde. Me lembro que eu recortava todas as crônicas e sabia que aquela maneira dela escrever seria perfeita para televisão. Foi uma inspiradora. O tempo passou, minha coleção de crônicas foi para o espaço e, apesar de trabalhar tanto tempo em Porto Alegre, nunca encontrei Ivete pessoalmente. Até que um dia (bendito Google!) procurando por crônicas de Ivete Brandalise me deparei com esse depoimento a Famecos (Faculdade de Comunicação Social da PUC/RS). Foi uma volta ao começo. Pena que a Folha da Tarde acabou antes da Internet. As crônicas de Ivete se não ficaram guardadas com ela, estão no arquivo do Correio do Povo. Se é que ainda existem. Mas fiquei alegre ao ouvir essa voz tanto tempo depois. E, ao saber um pouco mais da história de Ivete Brandalise, me enchi de orgulho ao saber que, pelo menos, essa referência foi correta. Ela encerrava os Cinco Minutos, invariavelmente, com a frase: Pensem nisso, enquanto lhes digo até amanhã.

Um comentário:

Celso Mariano disse...

Giácomo, lembro desta frase "Pensem nisso, enquanto lhes digo até amanhã", dito pelo Sérgio Jockimann, na mesma saudosa Guaíba de minha infância. Sobre isso, aliás, procuro há tempos, quem saiba me dizer qual é a trilha sonora de "O Comentário de Sérgio Jockimann na Guaíba". Tu sabes?
Em tempo: sou fã do teu trabalho como jornalista. Parabéns!