24.4.06

Mário Quintana

Essa lembrança que nos vem às vezes... folha súbita que tomba abrindo na memória a flor silenciosa de mil e uma pétalas concêntricas... Essa lembrança... mas de onde? de quem? Essa lembrança talvez nem seja nossa, mas de alguém que, pensando em nós, só possa mandar um eco do seu pensamento nessa mensagem pelos céus perdida... Ai! tão perdida que nem se possa saber mais de quem!

4 comentários:

Patrick Gleber disse...

Lindo poema Giácomo. Com relação ao post sobre a Igreja Católica ela continua fazendo - a respeito da camisinha - o que sempre fez ao longo de usa história, indo de encontro às evidências. Quem não se lembra de Galileu Galilei sendo forçado a dizer não aos seus pensamentos e de Giordano Bruno envenenado com cicuta?

PATRICK GLEBER
www.pensarpolitico.blogspot.com

Marilyn disse...

Ah, Quintana é lindo!
Ele sempre me transmite muita paz!
Ganhei de uma leitora [ e amiga ] do blog, um livro que reúne vários poemas dele.
Indispensável!
Beijo!

Cris Zimermann disse...

Quintana é tudo de bom!

Gi, passei pra te deixar um beijinho e te avisar q tem discussão nova no pedaço. Eleições em Blogópolis. Incluí vc ;) Precisamos continuar a fazer as liçoes de casa, linkar, linkar, linkar :)

Aguardo tb sua visita no Empreendedor Virtual. Não esquece do link dessa minha nova produção independente por aqui, viu?! Vou adorar e ficar bastante honrada ;)

Mais bjsss querido!

Vinicius Factum disse...

Giácomo,

Obrigado por ter acreditado no Blog de um Cidadão. Comemoramos o primeiro ano de vida! Obrigado pela sua participação!

Vinicius Factum
Blog de um Cidadão