6.12.05

Samba de Roda de Santo Amaro

Roberto Mendes Conheci essa figura chamada Roberto Mendes há pouco. Fazendo a matéria sobre o Samba de Roda do Recôncavo. Me levou para São Brás, distrito de Santo Amaro e me deu uma longa aula sobre as origens e raízes dessa manifestação cultural que acaba de ganhar o título de Patrimônio da Humanidade. Foi um anfitrião perfeito. Deu a aula e deixou o repórter a vontade para trabalhar. Nossa matéria, no JN, ficou linda. Roberto deu nota 10. E para mim foi muito mais do que um elogio. E ainda, de quebra, ganhei o DVD Tempos Quase Modernos. Na contracapa, tem esse texto do professor Jorge Portugal. "A cidade vivia dentro da gente, ou a gente vivia dentro dela? A cidade era assim como um filme inacabado de Fellini, um enredo de Jorge Amado, um acorde dissonante de João. Todo o requinte de sua arquitetura colonial não se deixava colonizar por um presente apressado que insistia em nos submeter a uma modernidade oca. A cidade tinha o seu próprio ritmo, e caminhava, sem pressa, entre as novenas e as chulas. havia nela um espírito refinado, e esse espírito nos foi passado pela voz do vento, através das madrugadas frias e do silêncio manso do rio. Olhar aquela igreja iluminada, aquelas mulheres sambando sem tirar o pé do chão, aquele facão cortando a cana-de-açúcar, numa cadência perfeita e precisa, eram momentos que viravam sangue, que viravam sonhos, que viravam vida. Ouvir tudo isso no violão e na voz de um moço que colocou a cidade dentro dele, é ter a dimensão da obra de um artista que faz belas parcerias com a eternidade. ..."

Um comentário:

adalBErTO, o Louco por Vinil disse...

Você já deve ter percebido que tirei o resto da sexta pra "espiar" seu blog. Não se assute... :-) vou parando por aqui, dizendo que acho Roberto Mendes fenomenal. Tenho um vinil dele e um CD chamado "Baianos de Luz", que saiu pela Velas. Um ótimo disco. Grande abraço.