31.3.06

Mario Vargas Llosa 70 Anos II

"Amo profundamente a liberdade. É uma das maiores conquistas da humanidade e deve ser defendida. E isso me leva muitas vezes a desencontros radicais com a esquerda, porque alguns de seus setores não têm essa concepção da liberdade e estão dispostos a sacrificá-la pelo poder. De modo que ataco os ditadores, sem exceção, inclusive os de esquerda, como Fidel Castro ou Hugo Chávez, da mesma forma como ataquei Pinochet do primeiro ao último dia. Agora, serei de direita por criticar a esquerda e não engolir o que esta engole muitas vezes, como o nacionalismo ou até mesmo o racismo? Quanto ao resto, acredito que muitíssimas coisas me afastam da direita. Não me vejo como um conservador, não acredito que o modelo ideal de uma sociedade esteja no passado. Sou um liberal, acredito que, ao contrário, é preciso continuar construindo, aperfeiçoando o modelo ideal de sociedade."

3 comentários:

Mauro Castro disse...

Está cada vez mais difícil para as pessoas lúcidas manterem-se fiéis às velhas ideologias de esquerda... eu acho.

Lucy disse...

olá.
gostaria de saber o nome daquele poema do mario quintana

"Fessora, eu posso ir lá fora?"
sabes?

brigada
alias, muito bom o seu blog!

Brenda Gabrielle Ayres disse...

Ei, adorei seu blog tem muita coisa interessante, beijinhos