13.5.06

Pandorga, Papagaio, Pipa.

Terminei de ler O Caçador de Pipas, do Khaled Hosseini. Ainda que o final force um pouco a barra, a solução me pareceu correta. E as brincadeiras com pandorgas, como chamamos no Rio Grande do Sul, me fez voltar um pouco a minha infância. Eu sempre tive um pouco de dificuldade de manter as minhas pipas muito tempo no ar. E lá Granja Mangueira (a 70 quilometros do Chuí, na fronteira do Brasil com o Uruguai) éramos proibidos de usar cerol(cerol cortante é a mistura de cola com vidro moído que algumas pessoas passam na linha da pipa para cortar a pipa de outras pessoas). Então derrubar as pandorgas uns dos outros era uma tarefa ainda mais difícil. Normalmente se enroscavam e caíam as duas que lutavam pela supremacia no ar. Área de campanha, descampado, o vento soprava muito forte no inverno e se não tivéssemos armado direitinho o papel, a cola e as varetas, era muito provável que nem precisasse de briga no ar: as pandorgas caíam sozinhas. Mas não lembro de existir a figura do caçador de pipas para exibir as que caíam como troféus. Quem corria atrás eram sempre os meninos mais pobres. Era bonito ver o céu da minha infância colorido pelas pipas. Hoje, nas favelas do Rio e de São Paulo, as pandorgas perderam um pouco da inocência infantil e estão servindo de sinalização para o tráfico de drogas. Uma cor para cada situação. Os meninos perdem a infância e a infância vai perdendo suas referência. Brincar com as pipas? Uma arma pode ser mais interessante! Ainda recordo uma música que ouvia quando era um guri de calças curtas e tamancos no sul do Rio Grande do Sul. Pandorga, Papagaio, Pipa Pandorga, papagaio, pipa Para o menino empinar Um pouco de papel de seda Um bom carretel de linha Para o menino esticar Pandorga, Papagaio, pipa Para o menino empinar Com as fibras do meu peito Minha linha vou tecer Com as cores do meu sonho Minha pipa vou erguer (Armando Cavalcanti)

3 comentários:

DO disse...

A impressão que se tem é que,de uma forma ou de outra,já não se brinca mais como antigamente,Giácomo. Otimo fds a vc. Grande abraço!

denis rivera disse...

YES! Um livro! Cadê? Eu quero! Eu quero! Eu quero! Lançamento Quando?
Vendas pela Net? Vamos logo Homem!
Já limpei os óculos!
Parabéns!
Imagino o trabalho e o carinho com que fizeste!
(o verbo na segunda pessoa é homenagem pra ti...)
beijos e beijus

Marilyn disse...

... infâncias e infâncias ...
A minha guardo com carinho.
O resgate é o melhor das lembranças!
;)