12.7.06

Atahualpa Yupanqui

"¡Y aunque me quiten la vida o engrillen mi libertad y aunque chamusquen quizá mi guitarra en los fogones, han de vivir mis canciones en el alma de los demás!" ("E ainda que me tirem a vida ou encarcerem minha liberdade e ainda que queimem quem sabe minha guitarra nos fogões, hão de viver minhas canções na alma dos demais!") Eu vi. Meninos, eu vi esse senhor de voz grave, com o folclore a abençoar seu canto, com o violão tocado com a mão esquerda calar, deixar em silêncio respeitoso toda a platéia da Califórnia da Canção Nativa no Alegrete, Rio Grande do Sul. Não lembro o ano. Mas recordo que, no fim, quebrou-se o silêncio que pedia uma outra música, "Los Ejes de Mi Carreta"(Os Eixos da Minha Carreta) e o povo todo cantou junto. O velho poeta e pajador (algo como cantador, mas mais profundo), tirou as mãos do violão, calou sua voz e também se emocionou com a homenagem. "No necesito silencio. Yo no tengo en qué pensar. Tenía, pero hace tiempo, ahura ya no pienso mas. Los ejes de mi carreta nunca los voy a engrasar..." ("Não necessito silêncio. Eu não tenho em que pensar. Teria, porém faz tempo, agora já não penso mais. Os eixos de minha carreta nunca os vou engraxar") E encerrou cantando a música que Mercedes Sosa ajudou a tornar popular: Los Hermanos. "Yo tengo tantos hermanos que no los puedo contar, y una novia muy hermosa que se llama ¡Libertad!" ("Eu tenho tantos irmãos que os posso contar, e uma noiva muito bonita que se chama Liberdade")

2 comentários:

DO disse...

Confesso que não o conheço,Giácomo!!

Patrick Gleber disse...

E se o Alckmin for o próximo presidente? Quais seriam as suas primeiras medidas no cargo?

A primeira certamente seria o reajuste imediato de 16,67% nos benefícios dos aposentados e pensionistas da Previdência Social que recebem mais de um salário mínimo.

Veja mais no meu blog

www.blogdopatrick.blogspot.com