11.3.06

Educação e Descaso

A escola da discórdia. Ou também poderia ser: Prefeituras Disputam o Fundef de 59 Crianças. A briga acontece entre dois municípios da Bahia. Tremedal e Piripá que ficam na região Sudoeste do estado, a 700 Km de Salvador, querem o direito de receber R$ 43 mil. São 59 crianças disputadas como se fossem mercadorias. Na divisa entre os dois municípios, em uma área disputada pelas duas prefeituras, foram construídas duas escolas numa distância de 2 quilometros uma da outra. Cada prefeitura construiu uma. Preocupação com a educação? Nada disso. As crianças vivem na região e os pais preferiram que elas fossem estudar na escola construída pela Prefeitura de Piripá. A triste briga é somente pelo direito de receber os recursos do Fundef (R$ 734,00 para cada criança). O Fundef é o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental. ((Dinheiro do imposto que nós pagamos e que muitos prefeitos usam para desviar e enriquecer)). A coisa está tão grave entre Piriá e Tremedal que um dos prefeitos ameaçou destruir uma das escolas "com trator e mesmo que as crianças fiquem lá dentro!". A juíza de Tremedal interferiu e parece que a ameaça não vai vingar. Mas vá dizer para as crianças, os pais e a professora que o perigo está completamente afastado! Pelo sim, pelo não, fui lá filmei a escola, entrevistei a professora que recebeu a ameaça - se tremia toda, a moça! e guardei o material. Por enquanto, é só uma triste briga política.

5 comentários:

Aline Matos disse...

Engracado! Em tempos de valorizacao da cidadania e dos direitos humanos, ainda ha espaco para um coronelismo proviciano, que submete escancaradamente o interior da Bahia. So da pra negar com a cabeca e cantarolar aquele jingle: "So se ve na Bahia.. so se ve na Bahia.."

cristina disse...

É realmente triste!

A educação devia ser um instrumento de desenvolvimento de um país e não uma estratégia para os responsáveis ganharem dinheiro!!!

E assim vai este mundo...

:)

Vinicius Factum disse...

É uma vergonha, mesmo! Eu já realizei cursos e treinamentos para profesores e diretores em Itapebi (perto de Porto Seguro) e já atuei como professor numa escola pública de Lauro de Freitas. É tudo a mesma coisa. Em Itapebi a disputa por alunos era entre a Prefeitura e o Governo do Estado. Em Lauro de Freitas a instrução (velada) era de não reprovar ninguém, ou o mínimo possível, pois no ano seguinte teria que abrir vagas para outros que viriam.
PS. Lá no Blog tem duas viagens ao passado e ao futuro... São duas matérias. Apareça!

Abs,

Vinicius S Factum

Daniela Mann disse...

ESte blog eu não conhecia, mas revela grande qualidade!
Um abraço e até breve,
Daniela Mann

Rose disse...

É mais que briga política: é falta de noção dos direitos dos cidadãos e falta de coerência.

Isso é caso de polícia, afinal as escolas não são construídas com o dinheiro dos prefeitos nem sobre seus terrenos.Autoritarismo puro.